quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Rota das Lavandas na Provence - Parte 4


No roteiro de hoje escolhemos conhecer as cidades com menor distância entre elas e ficam perto de Cabrières D'Avignon onde estamos  hospedados.

Estas são as distâncias: 
De Cabrières à Gordes - 7 Km
De Gordes à Abbadia de Senanque - 5 Km
De Abbadia de Senanque à Fontaine de Valcluse - 30 Km
De Fontaine de Valcluse a L'Isle sur le Sorgue - 7 Km
De L'Isle sur le Sorgue a Cabrières - 17 km




A primeira cidade é Gordes, que fica no Petit Luberon. Se existe um possível resumo da essência rural, ele está aqui. Inteiro construído em pedra sobre uma montanha, esse perché confunde-se com a paisagem no qual insere. As casas mostram o lado rústico de uma região árida. É um requintado destino turistico. É uma das mais fotogênicas cidades da Provence.
                                                           O castelo está bem conservado e pode ser visitado.
No topo de \gordes e no centro, fica o castelo que domina a cidade. Construído em 1031, reforçado em 1123, o castelo foi reconstruído em 1525. Hoje é a casa do Museu Pl Mara, um pintor flamengo contemporâneo que viveu em Gordes, e do escritório de informações turísticas. No verão, há concertos e peças de teatro, no pátio do Castelo.
Esta aldeia pode se orgulhar de ser uma das mais belas aldeias da França, com suas ruas de paralelepípedos, dessa forma através das casas altas, construídas na rocha, se agarrando em pedras.
A igreja românica em Gordes foi dedicada a Notre Dame. Reconstruído em 1704, foi então dedicada
ao seu patrono, São Fermin, um ex-bispo de Uzès
A história de Gordes de volta em um periodo mais cedo, e já os tempos galos romanos, foi o principal oppidum da cidade de Cavaillon, cuja diocese era uma das mais antigas da Gália. Para os acidentes históricos fez Gordes, e isso até a revolução, uma cidade de fronteira caindo de uma forma muito especial de uma diocese localizada em paises estrangeiros. Esse limite também foi relatado em todos os mapas.
                         As ruas estreitas, as praças arborizadas e as fontes graciosas, nos convidam a passear.
       As aldeias da Provence foram construídas muitas vezes nas encostas ou no topo de morros.
Andamos pelas pequenas ruas, hummm... muitas subidas. Em direção ao centrinho há muitos comerciantes vendendo de tudo, roupas, frutas ,castanhas, amêndoas torradas, chapéus, lavandas, tudo misturado.

                                                      Lindos cartões com frases em francês. Bem criativos.
        Com muito custo nesse dia comprou um chapéu, não esse claro, foi só para tirar foto.                           
  Andando pelas ruas de Gordes, encontrei o ateliêr e galeria da artista plástica Doro.T. Eu já tinha         lido algo sobre ela na internet. Entrei para conhecê-la      
Doro.T, Dorothée me recebeu com muito carinho, é uma pessoa bem acessível e simpática. Conversamos sobre as diferenças da arte do Brasil e França, e pudemos observar que não há muita diferença. A única diferença é que na França o artista plástico e suas obras, são mais valorizados que no Brasil. Suas obras são muito lindas! Ficamos amigas, eu a convidei para vir ao Brasil, e ela condidou-me para estar novamente em Gorde por mais tempo, e nos conhecermos melhor. Parabéns Dorothée pelo seu trabalho.


ABBAYE NOTRE-DAME DE SÉNANQUE

Abbaye ou Abadia de Senaque fica a cerca de 5 km de Gordes. É considerada uma das três irmãs Cisterciennes " da Provence", em conjunto com Silvacane e Thoronet. Construídos no século 12, foram importantes centros religiosos e ainda permanecem ativos.

Chegamos a Abbadia às 10:00h e já tinha muitos carros. Tinha bastante turistas, mas foi tudo tranquilo.Tivemos que esperar mais ou menos 1 hora para fazermos a visitar ao interior da abbadia.
Uma vez dentro do local onde se encontra o mosteiro,pudemos sentir no ar a suave fragância das lavandas. Foi uma excelente forma de começar o nosso dia. 
Abbaye de Senanqueexiste desde 1148. É uma linda abbadia, onde até hoje os religiosos vivem e trabalham.O estilo arquitônico romântico-provençal, é caracterizado por grandes construções de pedras elevadas. É um dos mais célebres cartões postais da Provence. Fica em um vale e é ornada pela própria plantação de lavanda. Na frente, um belo campo de lavanda, que para ser admirado no auge de sua beleza, deve ser visto entre os meses de junho a agosto, quando as lavandas estão em flor! 
     A Abadia fica linda quando as lavandas estão com flores. A paisagem é deslumbrante          e as fotos ficam maravilhosas!!!!! A visita a abbadia é imperdível!
                                      Tanto a abadia quanto os arredores merecem a visita. 
Uma lojinha com produtos que são cultivados no local (lavanda e oliva).Tem também livros e muitas lembraçinhas.

Há uma visita guiada com duração de 1 hora para conhecer o interior da abbadia, sendo o idioma somente em francês, o que dificulta para quem não fala francês. As entradas podem ser adquiridas no mesmo local ou pela internet. Mas atenção, shorts, e ombro exposto não são permitidos, eles te oferecem um tecido para usar como xale. Eu estava de short e não tive problema


A Abaddia de Nossa Senhora de Sénanque sempre, desde 1148, um mosteiro cisterciense e não um museu ou local turísico. Você pode desfrutar da tranquilidade e beleza do lugar para ter uma visão do fora da Igreja e abadia. Para aqueles que desejam, a igreja está aberta para a adoração silenciosa, visitantes são convidados a observar toda a área da abbadia.
        Que silêncio ! Fiquei com medo de que a porta batesse e nunca fôssemos                                                             encontrados!
Se as pessoas se interessarem, poderão participar de retiros espirituais, existe uma hopedaria monástica, que acolhe quem deseja participar da comunidade e em silencio recolher-se por alguns dias.
A organização da vida, gira em torno do Abade e orações, "Obras de Deus". A liturgia das horas, que oito vezes por dia, reúne a comunidade para rezar em comum, a partir dos salmos e da bíblia, e em seguida, passar para um tempo de trabalho no interesse do sustento material da comunidade, por fim há também um momento especial e estudar para o chamado "Lectio divina", leitura orante da Sagrada Escritura ou escritores espirituais.O canto gregoriano também é um importante componente do dia a dia do mosteiro. Esta espiritualidade é, importante, com base em toda uma teologia, onde o ascetismo serve a paz interior e sobretudo de Deus.
    Também podem assistir missas,: 
     Aos domingos às 10:00 h, 
     As segundas às 8h30, nas                                                         
     Quartas - feiras e sábados às 12h. 

Momento de reflexão
                        Dentro da Abadia sentimos muita paz.
No meio de um cenário bucólico com vista para os campos de lavanda. Vale muitas fotos, é um lugar pitoresco com caracteristicas medievais, começando pela bela Abadia e seus anexos. estrada sinuosa, mas nada que chegue a incomodar. O visual vale a pena!

Andar no meio dos campos de lavanda, com as abelhas voando ao redor, esse ambiente de tranquilidade, ao fundo os sinos da Abbadia tocando, haaa, não tem nada melhor. As palavras não conseguem descrever em sua totalidade o que sentimos naquela manhã indescritivel.

                                                       Encontramos uma borboleta brasileira, rsrsrssr.                 
Gordes, no Luberon: vales e montanhas cobertos com construções de pedras.
Passando de volta em Gordes quando estávamos indo em direção a Fontaine de Valcluse, paramos num lugar onde se tem tem a melhor vista de Gordes. Quando você for pesquisar sobre Gordes sempre vai encontrar uma foto igual a esta.                                         
                                                         
                                                                FONTAINE  DE VAUCLUSE
Fontaine de Vaucluse é uma comuna francesa na região administrativa da Provença-Alpes-Costa Azul, no departamento de Vaucluse.        

    Chegando a Fontaine de Vaucluse procuramos um estacionamento que ficasse perto da cidade, mas     acabamos encontrando uma ruazinha tranquila onde deixamos o carro. Logo ali na frente.
Passamos por várias vilas desta região, mas sem a menor dúvida: Fontaine-de-Vaucluse é de uma beleza indescritível. O verde esmeralda das águas é incomum, até brilha de tão perfeito. Vale muito a pena conhecer. Essa pequena cidade foi construída em um vale banhado por um riacho de forte correnteza. É uma cidade tipicamente provençal, e é o ponto de partida para explorar a região.
                                            O rio passa pela cidade, por várias ponte e moinhos.

Parece cenário de filme, a água é gélida e desce dos alpes franceses, faz com que o rio crie um musgo verde esmeralda no fundo, que dá o tom do rio.  

Pelo caminho que leva até a nascente, olhando para cima verá a sua frente formações rochosas surpreendentes e entre elas um castlo em ruínas.                                               A trilha até a fonte de água ou mais como um poço de água.
Muitas barracas vendendo, crepes, roupas, sorvetes e doces, quebramm a monotonia do caminho, é uma caminhada relaxante
A poucos metros do centro fica a nascente do rio. Fica em uma caverna situada em uma baixada, forma-se um poço "sem fundo" . O famoso Jacques Costeau, tentou e não conseguiu chegar ao Fundo da nascente.
Lindo o lugar desse restaurante, e como estava muito quente foi um lugar ideal para descansarmos e colocar os pés na água para refrescar....mas que gelada é essa água, em pleno verão, parecia que tinha sido tirada de um frezer.                                                                     
                                                                   Absorvendo a energia desse lugar maravilhoso !!!!
                                                                   

                                                                            Uma parada para um cafézinho.
                                                    E um inocente docinho
                                                               O lugar me permitiu tirar belas fotos como esta.

L' ISLE SUR LE SORGUE
Conhecer esta cidade foi uma linda surpresa porque é linda demais. Várias lojas e restaurantes ao lado do Rio Sorgue que corta a cidade. No verão é ainda mais bonita com varandas floridas e um céu com a luz que os pintores impressionistas amavam na Provence.
Sorgue vem do provençal, sorgue quer dizer " Fonte abundante". O mesmo riacho que nasce em Fontaine de Valcluse se espalha por diversos braços quando chega em L'Isle Sur le Sorgue, formando canais em torno dos quais a cidade se estabeleceu.
É uma pequena cidades da Provence, a 30 km de Avignon. O nome Isle sur le Sorgue significa ilha sobre o rio Sorgue. O rio cruza em vários pontos formando canais, e por isso a chamam de" Veneza da Provence", um pouco exagerado, mas não deixa de ser uma linda e singela cidade.
Vá em um domingo quando o mercado toma as ruas da cidade. Em L'Isle sur le Sorgue tem várias rodas d"água.
Neste mesmo dia que em L'Isle sur le Sorgue fazia 35 graus, em Curitiba estava nevando. Que diferença!
Aqui ninguém se preocupa com o que você faz. Eu vi uma senhora, com os pés na água, neste mesmo ela estava sentada lendo um livro. Claro que com esse calor todo mundo queria era se refrescar e eu não deixei por menos, logo sentei ao lado dela. 
                Aí está, olha o pessoal se refrescando.
Resolvemos parar em um dos inúmeros restaurantes que tem na orla do rio. Como sempre pedimos uma saborosa salada. Na França principalmente na Provence a gente pede uma salada e não precisa mais nada, de tão grandes que são. Acabamos aprendendo que se pedimos primeiro uma salada, com certeza não vamos ter fome para comer o prato principal.
                                                                                            Esta até que não era tão grande.
                                 E pudemos comer uma sobremesa.
                                            Essa rua é muito linda, e tem restaurante para todos os gostos.
             A música está presente nas ruas. Esse senhor estava tocando músicas lindas com seu violino.
                                                                                           Aqui a sorveteria" Louise"


Decoração maravilhosa !!!!! Tudo em rosa, bom gosto nos pequenos detalhes. Adorei, é a minha cara.
                                                 Continuando o passeio, e vendo coisa linda pelo caminho.                                                                                    
                              Alguém percebeu que eu estava tirando fotos, acho que eram brasileiros.
Para finalizar um jantarzinho básico no Café Fleur.
Pedimos uma mesa no terraço no andar superior. A comida incrível e o serviço foi excelente e simpático. O cardápio oferece uma grande variedade de opções. A nossa refeição foi absolutamente deliciosa. Os nosso cumpromentos ao chef. 
Crème Vichysoise à la Truffe d' éte
Le Homard

Nossa nova parada será em Baux de Provence, Saint Remy de Provence e Museu de Lavanda.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search