terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Cancún, um paraíso azul turquesa

Este relato de viagem foi  enviado por Victor  Santiago. Victor tem 34 anos, é carioca, mora no Rio de Janeiro. Tem como uma de suas maiores paixões viajar em familia. Eles já fizeram muitas viagens, tanto nacionais como internacionais. Connheço o Victor e sua familia, desde a travessia Brasil/Itália, no návio Msc Orchestra. Fiz o convite a ele para participar no blog, e prontamente ele me enviou o material para publicar. Obrigada Victor, você está estreando no " Papos de Viagem".

Olá amigos leitores do blog Fuxicos de Viagens! 
Estivemos em Cancún em julho do ano passado durante dez dias. Deixo aqui meu relato, no intuito de ajudar a todos que têm o desejo de conhecer essa bela região. Achei melhor dividi-lo em pequenos tópicos.
                                                          Visual da nossa varanda. Nada mal....
Localização
Cancún fica em Quintana Roo, um estado mexicano localizado na península de Yucatán. Atualmente
é um dos principais pontos turísticos mundiais quando o assunto é praia e belezas naturais.
O que algumas pessoas não sabem é que muitas dessas atrações atribuídas a Cancún não ficam realmente lá.  São locais vizinhos, alguns bem perto, outros relativamente distantes. A cidade em si oferece uma megaestrutura hoteleira e diversas agências de turismo, que abrangem todos os passeios possíveis e imagináveis. Por isso, a grande maioria dos turistas escolhem Cancún para se hospedar.

Onde ficar?
Opções não faltam. E para todos os bolsos. Existem resorts, hostels, pousadas e apartamentos. Comecemos pelos resorts. Uma imensa variedade forma o que chamamos de zona hoteleira, ocupando toda a faixa de areia. Existem os chamados all inclusive, onde toda a refeição e bebida consumidas estão inclusas no pacote contratado. É uma opção cara.
Cotamos um deles, o Riu Cancún. O pacote oferecido contemplava o transfer aeroporto-hotel-aeroporto, um belo quarto com vista para o mar e comida e bebida à vontade O preço: a pequena bagatela de quase US$ 3.000. Se contarmos o IOF do cartão de crédito, facilmente este valor seria ultrapassado. Logo, foi descartado.
Pesquisamos outros, que nem café da manhã tinham. O preço despencou: US$ 1400. Mesmo assim, continuamos a procurar.
Foi então que nos deparamos com o site da airbnb. Lá existem opções muito interessantes, por preços bem acessíveis. Achamos um belo apartamento, localizado na zona hoteleira, com vista para o mar, ar condicionado (essencial), cozinha completa e ainda wifi free (a maioria dos resorts cobram caro pelo privilégio e quando não cobram a internet só pega no saguão). O preço: US$ 901. Perfeito!!!. Havíamos encontrado nosso cantinho mexicano!
                                                                       Visual da nossa varanda. Nada mal....
Locomoção
Dentro de Cancun, super tranquila. Há dois ônibus que rodam 24 horas por dia, o R-1 e o R-2. A passagem estava saindo a 10,50 pesos por pessoa. Eles rodam de uma ponta a outra da zona hoteleira e passam de cinco em cinco minutos. 
Visto, vacina e seguro viagem
Atualmente não é mais necessário o visto para brasileiros. Basta ter um passaporte válido. Super- tranquilo.
Eu li muito a respeito da vacina contra a febre amarela pela internet. Porém, pesquisando, descobri que não é exigida para o turista em Cancún. Por isso, viaje tranquilo.  Não tomamos nada e entramos no México sem problema algum, mesmo fazendo conexão pelo Panamá.
Sobre o seguro viagem, acho essencial. Sempre que viajamos contratamos. Existem muitas opções por aí. Nós ficamos com a Mondial.  Felizmente não tenho como avalia-la pois não precisei usar.

Dólares X Pesos Mexicanos
Outra dúvida pertinente. A moeda oficial é o peso, porém o dólar é quem dita as regras. Tudo lá é cotado na moeda norte-americana.  Você pode pagar tudo em dólar, desde o seu hotel até o restaurante, passeios ou táxis. A única coisa que não vi pagarem em dólar foi o ônibus. Por isso, é essencial levar consigo uma boa quantidade.
Entretanto, o peso também é importante. Não abdique dele. Mesmo pagando em dólar, seu troco virá em pesos. É importante prestar atenção na cotação que é feita nesses momentos, porque em sua grande maioria a conversão é desfavorável ao turista.
Nós levamos a maioria em dólar, porém também levei uma quantidade considerável em pesos. Não nos arrependemos.

Gorjetas
Sim, é verdade. Podemos chamar Cancun de “terra da propina”. Lá, a cada instante você sofre assédio por parte daqueles que prestam serviços, seja em restaurantes, seja em excursões, enfim, em todos os lugares.  Faz parte da cultura local.

Sobre segurança e honestidade
No geral, a região é segura. Utilizamos o ônibus de madrugada, voltando da Coco Bongo. Andamos pelo centro com câmeras e relógios, passeamos pela orla e nada aconteceu. Conversando com brasileiros que moram e trabalham por lá, tive uma boa impressão geral.
Mas, até mesmo um lugar lindo como Cancún tem seus problemas. Tive meu celular furtado durante a volta de um passeio (Isla Mujeres), quando subi em um ônibus abarrotado. Em um segundo ele estava no meu bolso, no outro havia desaparecido.  Esse acontecimento me deixou aborrecido, porém decidi deixa-lo de lado e focar nas coisas boas.
Em outro momento, paguei duas bebidas com uma nota de US$ 50 e a garçonete demorou a trazer meu troco. Quando o fez, veio errado. Faltavam 400 pesos. Por isso, atenção ao troco e à conversão.
Um último adendo: pergunte sempre o valor da corrida antes de embarcar em algum táxi. Você evitará muitas dores de cabeça. 

A ida
Voamos pela Copa Airlines. Foi o menor tempo de voo que achei em minhas pesquisas (entre 9 e 10 horas no total). A conexão é feita no Panamá. 
O trajeto não é dos melhores para quem não gosta de voar, como eu. A aeronave balançou do início ao fim e o aviso de “apertem os cintos” ficou ligado, o que para mim foi o terror, rsrs.  Conversando, na volta, com um piloto da própria Copa que voltava para o Rio (de férias), descobri que esse tipo de situação é comum naquela rota. Uma pena.
Tirando esse detalhe, o voo ficou dentro do esperado.  Procure escolher um tempo de conexão no Panamá confortável, caso queira fazer compras. O duty free de lá é bem conhecido pelos bons preços. Nosso tempo na ida foi de 1h e não conseguimos parar. Já a volta ficou em 2h e aí sim pudemos fazer algumas comprinhas.
Nosso transfer estava à espera e do aeroporto até a zona hoteleira foi coisa de 15 minutos de carro. 

Passeios
Minha esposa e eu somos adeptos de turistar por conta própria. É difícil contratarmos alguma coisa de agência. Porém, quase todos os passeios da região exigem algum tipo de transporte. Logo, se você não estiver de carro, vale a pena contratar alguma agência de turismo.
Minha dica é: Álvaro Tours.
Essa agência ganhou notoriedade pelos fóruns de turistas brasileiros. E com razão. Eles são especializados em atender nosso povo. Seus funcionários falam português. Quando não o fazem, arriscam um portunhol muito bom.
Contratamos o transfer pelo site e lá estavam eles, pontuais. O veículo utilizado era confortável e com ar condicionado. Quando manifestei o interesse em fechar alguns passeios com eles, Cristian, o simpático funcionário que nos atendeu, prontificou-se a nos buscar no apartamento e nos levar até a agência. Porém, somente à noite, para que “pudéssemos aproveitar a piscina e o tempo lindo que estava fazendo, descansando da longa viagem”. No quesito atendimento, já haviam me ganhado.
Quando chegou o momento, o próprio Álvaro veio nos buscar e ainda paramos em um hotel para pegar outro brasileiro.
Fechamos alguns passeios com ele. Outros decidimos fazer por conta própria. O importante a se destacar é que ele é um cara bom de jogo: negocia descontos de acordo com o valor contratado, dá brindes (como protetor solar biodegradável, o único permitido em algumas excursões) e, se você apresentar um preço mais barato do que o dele, ele faz de tudo para igualá-lo. Mas é necessário negociar diretamente com o Álvaro e não com seus funcionários. No fim das contas, o valor final ficou US$ 200 dólares abaixo do orçamento original que recebi por e-mail.  Acabou que contratamos um passeio extra!
                                                                                  
Parques Xcaret e Xplor 
Excelentes! Fizemos em dois dias separados.
O primeiro é um parque imenso, com muitas atividades a serem feitas. Nadar por um rio subterrâneo, mergulhar com arraias ou tubarões (pagos a parte), praticar o snorkel, assistir a apresentações...as opções são variadas. Você pode escolher entre adquirir somente a entrada do mesmo ou a entrada + o almoço. Recomendo escolher a segunda opção, já que para vivenciar a experiência completa, é necessário ficar até tarde por lá e assistir ao show de encerramento chamado “México Espetacular” (o início se dá às 19h e termina pontualmente às 21h).  Tanto o transporte de ida quanto o de volta está incluído nesta segunda opção.
Já o Xplor é um parque indicado para quem gosta de adrenalina. Sua principal atração é a tirolesa.  São quatorze no total e englobam 3.8 km de extensão. A maior delas atinge a altura de 45metros. O parque também conta com veículos anfíbios, balsas para a prática de rafting e também um rio subterrâneo, onde se pode escolher o trajeto completo (350 metros) ou um atalho (de 25 metros). O pacote também incluiu refeições all inclusive e transporte.
Apesar de caros, recomendo demais. 
                                                                                        Xcaret
                                                                                      Victor e Naira
                                                                                          Xcaret
                                                                                  Xplor
                                                                                Xplor
                                 Isla Mujeres, Parque Garrafon e nada com os golfinhos
A famosa Isla Mujeres fica bem próxima de Cancún e chegar lá por conta própria é muito fácil. Por isso, decidimos fazê-la por conta própria. Basta se dirigir a Playa Tortugas (dentro da própria zona hoteleira) e pegar um ferry (nós utilizamos a empresa Ultramar).  A passagem na modalidade round trip (ida e volta) estava saindo a US$ 19/pessoa.
                                                                                 Playa Tortugas
A ilha é belíssima e dona da praia mais sensacional que conhecemos nessa viagem: Playa Norte. Por lá também é possível alugar uma espécie de carrinho de golfe e rodar por conta própria, conhecendo tudo. Fomos até Punta Sur e depois chegamos à Playa Norte, ou seja, percorremos de uma ponta a outra. Uma visita imperdível! Apenas uma observação: cuidado na volta para Cancun, ao entrar em um dos ônibus R. Não tive a paciência de esperar um mais vazio e entrei no primeiro que apareceu, abarrotado pela multidão que voltava de Isla Mujeres. Foi quando tive meu celular furtado. Fica aqui o alerta.
                                                                   Carrinhos de golfe por Isla Mujeres.
                                                                 Punta Sur
                                                            Iguanas. Elas estão por toda parte
                                                                   Playa Norte


Ainda retornamos uma segunda vez, só que para fazer o tão sonhado, "Nadando com Golfinhos". Compramos diretamente do site, um pacote que incluía transporte, alimentação, nadando com golfinhos e acesso ao parque Garrafon. Começamos com o nadando e tivemos privilégio de interagir com essas criaturas espetaculares! Minha esposa amou! Depois, passamos o restante da tarde no Garrafon, um parque maravilhoso, onde se pode simplesmente descansar ou então usufruir de sua estrutura. Lá vi o azul mais incrível da viagem. Valeu muito a pena. Saímos cedo do apartamento e voltamos no fim do dia. Inesquecível!


                           Esse é o foot push, uma das atividades envolvendo os golfinhos.
                                                                           Parque Garrafon
   
                     Ruínas Maias Tulum, Cenote dos Ojos, Akumal e boate Coco Bongo
Tulum (esse pacote é chamado de Tulum Especial) fizemos em um dia de sol escaldante e temperatura nas alturas. É uma excursão interessante, porém devo alertar sobre a incidência de mosquitos no local. Mesmo nos protegendo com repelentes, fomos atacados sem dó, rsrs. Fora esse pequeno detalhe, a visita vale a pena pelo sentido histórico da coisa. Conhecemos um pouco dos costumes e tradições desse povo .
Esse passeio nós fizemos pelo Álvaro Tours.


Saindo de Tulum, fomos conhecer o famoso Cenote dos Ojos. Nada melhor do que mergulhar em suas águas geladas após um calor de matar nas ruínas!
Ainda tivemos uma pausa para lanche (incluso no pacote). Depois, fomos levados para a praia de Akumal, nadar com as tartarugas. O lugar faz jus à fama e pudemos encontrar uma boa quantidade desses animais, nadando tranquilas. Cristian, nosso guia, nos forneceu todo o material para snorkel. Excelente programa!
                                                        A praia de Akumal cheia de sargaços
Após a praia, o passeio terminou.
Nesse mesmo dia, conhecemos a boate Coco Bongo. Ela fica em Cancun, na área mais movimentada, onde se encontram outros bares e boates. Contratamos o pacote Gold Member (também com o Álvaro), uma espécie de entrada vip, que nos daria direito a um camarote e open bar.  Sinceramente eu não achei que valeu a pena. Foi muito caro (US$ 150 por pessoa) e decepcionou. O tal camarote tinha uma vista obstruída, graças a uma pilastra que ficava bem no meio do caminho. Fora isso, os garçons eram movidos à gorjeta: todos que dessem um dinheirinho eram bem servidos; o restante tinha que ficar pedindo. Ali também foi onde mais presenciei o assédio por propina, chegando ao extremo de, até mesmo no banheiro, haver um rapaz que abria e fechava a porta, entregando papéis para enxugar as mãos, esperando gorjeta.  
Tirando os problemas citados, o espetáculo é bem produzido e vale a pena conhecer. Só que de pista. Não recomendo o Gold Member. Saímos de lá por voltas das 3h da manhã e pegamos um R-1, chegando no apartamento com tranquilidade.


                                                       Camarote com vista obstruída.
Chichén Itzá, Cenote Ik Kil e Valladolid
Passeio muito interessante, feita com a Álvaro Tours (chama-se Chichén Itzá Especial). Visitamos a famosa cidade arqueológica maia. Fica distante de Cancún, a mais de 2 horas de carro.  Apesar do dia quente, achamos o lugar mais arejado do que Tulum.
É lá que fica uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo Moderno. A Pirâmide de Kukulcán, que data do século XII, faz jus à fama e é impressionante. Não só ela, todas as construções maias são de deixar qualquer um boquiaberto. Destaque para a acústica local: ao bater palmas em frente à escadaria da Pirâmide, podemos ouvir o som de um pássaro local, o quetzal. Também podemos encontrar muitos nativos que vendem artesanato. Nós acabamos comprando algumas lembranças. Imperdível! 
                                                 Pirâmide de Kukulcán, em Chichén Itzá
Mostrando os costumes maias. Entre eles, o piercing dental usado pela nobreza na época.
                                                                  Comércio Local
Em seguida, visitamos o Cenote Ik Kil, local também onde almoçamos (incluso no pacote). Esse Cenote é diferente do Ojos: sua profundidade chega a 40 metros e as águas são turvas, deixando a visibilidade em quase zero. Nada que estrague a visita, entretanto.

Por último, chegamos em Valladolid, uma pequena cidade mexicana, fundada em 1540. Achamos essa parada bem simples, sem muita coisa para se ver. Lembra vagamente outra cidade que conhecemos na Espanha, Cádiz.

                                                                           Mergulho em Cozumel
Destino certo para todos os cruzeiros que saem dos EUA, Cozumel é uma ilha, famosa no mundo inteiro como um dos melhores lugares para se praticar o snorkel e o mergulho. Fica distante de Cancún, mas para quem tem disposição, não é difícil de chegar até lá. Basta pegar um ônibus no terminal ADO (pegando o R-1 ou o R-2, peça ao motorista para avisar quando estiver perto da rodoviária, que não fica na zona hoteleira) e ir até Playa Del Carmen (uma viagem de aproximadamente 1h20m). A ida e a volta deram US$ 15 para duas pessoas. Ao descer do ônibus, você estará a poucos metros do porto de Playa. Chegando lá, procure o estande amarelo e azul da Ultramar e compre seu bilhete para Cozumel. O ferry demora entre 40 e 45 minutos para alcançar a ilha. O valor é mais salgado: US$ 40 para o casal, round trip. Atenção aos horários da volta. Acessando o site do Ferry Ultramar você conseguirá se programar com calma.
Para esse dia, fizemos tudo por conta própria. Acessei o site da Tripadvisor e encontrei uma empresa muito bem avaliada. Chama-se H2O Cozumel. Fechamos o pacote Discover Scuba Experience (US$ 280 o casal), indicado para quem nunca mergulhou. Minha esposa estava muito nervosa por um motivo específico: ela tem asma. Para a nossa surpresa, ela se saiu melhor do que eu e desceu os dez metros de profundidade com extrema facilidade. Tive fortes dores de ouvido, devido à pressão. Mas, mesmo com esse empecilho, curti demais a experiência. Fizemos mergulho em três paradas diferentes: El Cielo (onde praticamos pela primeira vez.), Columbia Shallows e Santa Rosa Wall. Ainda tivemos uma pausa parar beber água e comer uns snacks. Um dia e tanto! 
                                                                Ferry da Ultramar

                                               E por fim, passeios dentro de Cancún
Fechamos nossa passagem por Cancún com alguns passeios pela zona hoteleira. Indicamos dois, que julgamos bem interessantes: o Parasailing e o Jungle Tour. 
O Parasailing consiste em voar pelos céus da cidade, a partir de um paraquedas amarrado a uma lancha. Em um primeiro momento, pode parecer assustador, acredite. Eu tenho medo de altura mas decidi encarar, pensando naquele visual espetacular. Não me arrependi. O voo é tranquilo e estável. Fomos sentados e tiramos muitas fotos. O preço cobrado pela experiência foi de US$ 60 por pessoa. 
                                                Esse pequeno ponto era a lancha que nos levava.
Por fim, encerramos com o Jungle Tour. É um passeio onde você guia uma lancha (capacidade para duas pessoas somente). Neste passeio, todo o cuidado é recomendado, já que a velocidade é grande. A experiência teria sido melhor se não fosse pelo guia local, que além de grosseiro, praticamente exigia gorjeta. Durante o passeio, paramos para praticar o snorkel, cuja visibilidade estava excelente. Foi caro (US$ +- 70 por pessoa) e tenho dúvidas se vale o preço cobrado.
                                                                   As lanchas utilizadas

E nossa viagem chegou ao fim!
Um abraço e até a próxima, pessoal!!!
Victor. 










  



  

4 comentários:

  1. Haydee, Victor e Nira, que prazer em participar deste blog e fiquei maravilhada com todos os relatos, experiências, fotos e acima de tudo a energia dessa viagem - simplesmente espetacular. Foi um prazer imenso ter a oportunidade de viajar com vocês na travessia Brasil x Itália e espero, do fundo do meu coração que em breve possamos, todos juntos, realizar uma nova viagem que com certeza será maravilhosa!!!! Aguardem que em breve enviarei também meu relato de viagem. Haydee, parabéns pelo maravvilhoso blog... Beijossss

    ResponderExcluir
  2. Obrigada querida amiga cruzeirista. Muito bom receber comentários de vocêd. Realmente a postagem do Victor ficou muito boa. Bjss

    ResponderExcluir
  3. Cancun é muito legal! Recomendo a qualquer um, mas infelizmente tive problemas ao alugar um carro lá com a empresa Hertz ... gostaria de compartilhar meu relato para que evitar que voces tenham problemas tambem! Abraço

    https://www.reclameaqui.com.br/hertz-locacoes-internacionais/hertz-nunca-mais-consumidor-e-tratado-como-b-a-n-d-i-d-o_qbxj6qIBEcs4MU-q/

    ResponderExcluir